Dados do Governo Federal apontam a população Trans como a mais vulnerável à violência entre LGBTs

Nessa quinta-feira (29) comemora-se o Dia Nacional da Visibilidade de Travestis e Transexuais, data marcada pela luta no campo dos direitos humanos, pelo respeito à identidade de gênero, e por uma vida livre de preconceitos e discriminações.

O último Relatório de Violência Homofóbica, publicado pela Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, aponta a população trans como a mais suscetível à violência, seja injuriosa, física ou psicológica, incluindo, ainda os homicídios.

A Psicologia pode e vem contribuindo na luta pela despatologização da identidade de gênero Trans, participando de movimentos sociais que buscam a garantia dos direitos dessas pessoas. Nesse sentido, a Fenapsi reafirma seu compromisso na busca da dignidade humana dessa população.

Data

A data foi estabelecida em 2004 pelo Ministério da Saúde em parceria com diversos setores da sociedade. Já se passaram 11 anos e a população brasileira de travestis e transexuais, além de sofrer com a violência, ainda encontra dificuldades no acesso à educação, ao trabalho e à saúde. Por isso a militância em favor desse grupo precisa continuar e ser expandida.