Estas dicas são importantes para educação dos filhos, mesmo quando é feito pelos os avós.                                                                                     

COMO EDUCAR SEU FILHO

EDUCAR PARAO FUTURO

Os pais, e também os avós, estão sempre influindo nos gostos, anseios e tendências dos filhos (netos) desde o momento em que nascem. Isso é correto sempre que busquem o seu bem.

A preocupação dos pais está no futuro dos filhos e desde pequenos pensam em como ajudar-los, mas eles viverão em uma sociedade diferente à de hoje, devido a este mundo globalizado, e devem ser preparados para que saibam desenvolverem-se, o melhor possível, em uma sociedade futura.

 A dica essencial

“Dar carinho: não significa comprar um brinquedo novo e sim dar atenção.  O amor e a atenção dos pais são as maiores motivações  da criança. Alguns problemas aparecem quando a família não dá atenção aos filhos ou quando só se dirigem a eles na hora de dar bronca. E um problema de disciplina pode desaparecer quando os pais desviam a atenção para as coisas positivas e ignoram algumas de suas travessuras.  As recompensas de ordem afetiva são as mais apreciadas, pois fazem com que a criança sinta orgulho de si mesma e reaja bem ao próximo desafio que a vida lhe apresentar.”

Não esqueça que sempre é hora de dar limites

“Cuidado para não acontecer o que hoje ocorre em muitas famílias, em que os pais se tornam reféns de seus filhos. Educar não é permitir tudo. Proibições e linhas de conduta são necessárias ao desenvolvimento da criança. Não proporcionar aos filhos uma sólida e clara consciência de limites significa expô-los a graves riscos e dificuldades no futuro. A moderna psicologia afirma com segurança que um delinqüente não costuma surgir na adolescência: ele é ‘fabricado’ entre os 2 e os 5 anos de idade.”

 A culpa de quem trabalha muito

“A relação entre pais e filhos tem mudado ao longo dos anos. Hoje em dia o casal necessita desempenhar atividades profissionais fora do ambiente familiar, e é neste momento que a culpa aparece. Não chegue em casa todo dia com um brinquedo novo para se sentir menos culpado ou não vá logo assistir o jornal na televisão, deixe para assistir quando ele estiver dormindo. Ao chegar em casa não esqueça de dar total atenção ao seu filho, sente no chão e brinque. Converse com a criança e diga como foi o seu dia e pergunte o que ele fez durante o dia. A qualidade do tempo em quem você fica com seu filho é muito importante.”

Enquanto estiver no trabalho, fique próximo de seu filho pelo telefone. Ligue, pergunte o que ele está fazendo, conte algo sobre o seu dia, ou apenas telefone para contar quanto gosta dele. “Essas pequenas atenções significam qualidade e quantidade nas relações”

15 dicas para pais e mães

                                                                                     Matéria publicada no Jornal Estado de Minas em 17/03/2013.

Veja sugestões e alertas das psicopedagogas Maria Eliane Oliveira de Faria e Jane Patrícia Haddad e da psicóloga Raquel Moreno para que seus filhos vivam no tempo certo:

  • Não transforme seu filho em um miniexecutivo. Por mais que ele pratique um esporte e tenha aula extra de línguas, por exemplo, reserve um tempo diário para ele brincar.
  • As atividades além da escola têm que ser naturais, conforme o gosto da criança. Se ele não gosta de futebol, não o obrigue a praticar tal esporte.
  • Brincar não é quantidade, mas qualidade. Colocar seu filho em frente a uma televisão não proporciona interação. Fique perto dele, ofereça um quebra-cabeça, brinquedos de montar adequados para a idade, mas que o faça raciocinar.
  • Observe na escola o espaço dado para o lúdico, se tem monitor para brincadeiras. Se for em tempo integral, fique atento aos horários para cada atividade.
  • Crianças de 6, 7 anos não precisam de celular. Avalie com cuidado a necessidade e não aceite o pedido para mudar constantemente de aparelho.
  • Preserve o que as crianças estão assistindo e ouvindo na televisão e fique de olho no que ele está acessando pelo computador. Se tem Facebook e outras redes sociais, entre como amigo.
  • Estabeleça o limite de entrar na rede social a partir dos 13 anos, mas com a sua supervisão. O tempo no computador depende de cada rotina, mas delimite o quanto julgar necessário e cumpra.
  • Dê limites ao seu filho. Diga não. Os pais são a lei da criança. Ela precisa desse corte para desenvolver frustrações e amadurecimento saudável.
  • Mesmo que tenha uma agenda corrida, tire um tempo para ficar com seu filho sem se preocupar com outras coisas. Brinque com ele. Por meio da brincadeira, você passa valores, a criança se solta e um vínculo familiar é criado.
  • Nas meninas: é normal brincar com o sapato da mãe, com a roupa, o batom. Mas fique atenta se a vaidade ficar excessiva. Se a criança manifestar vontade de estar maquiada de manhã e à tarde ou de ir para a escola maquiada, por exemplo. Imponha limite. Peça para tirar um pouco e deixe usar um gloss, por exemplo.
  • Nos meninos: o problema está no excesso do videogame, computador, jogos de lutas e guerras. Ofereça a ele um livro, um jogo de raciocínio, busque estratégias para que ele não fique preso em frente à tela.
  • Faça com que seu filho conviva com outras crianças. Leve-o ao parque, ao teatro, 
    cinema, ande de bicicleta com ele, faça programas em família.
  • A vida da criança é organizada pelo adulto, não faça que ela seja independente antes da hora. 

     

  • Não se entregue aos produtos que lhe são oferecidos. Pense criticamente e avalie se é mesmo necessário para a vida do seu filho
  • Não exagere nos presentes, na tentativa de compensar o tempo que fica fora de casa, longe do filho. Busque conversar e brincar, fazer atividades juntos

“Todo pai sonha com que os filhos se tornem vencedores na vida, e pensam que para educar um filho, basta repetir o que os seus pais lhe ensinaram. Acham que já sabem como educar seu filho de forma correta, mas não tem noção da importância que eles podem ter no caminho que seus filhos irão tomar para alcançarem seus objetivos”.(Laurence Steinberg)”.

-------------------------------

AGUA.      QUEM AMA     CUIDA.

Acessos: 252

Endereço e Telefones

(31) 3295-2404
Rua Tomé de Souza, 860, sala 104, Funcionários
Belo Horizonte / Minas Gerais - CEP 30140-909
fenapsi@veloxmail.com.br

© 2017 Fenapsi. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por SiteSindical

Search

Acesso Restrito